Dicas e Coordenadas

Qual é a diferença entre Seguro e Assistência? há diferenças entre seguro e assistência-viagem.

Com o seguro, o viajante geralmente paga para ser atendido no hospital ou clínica. A assistência, oferece uma rede limitada (mas geralmente extensa) de hospitais e clínicas conveniados, aos quais o viajante só precisa mostrar seu cartão de cliente para ser atendido.

“No caso do seguro-viagem, se houver uma emergência o segurado deverá procurar, junto à seguradora ou por conta própria, a melhor estrutura que lhe atenda. Além disso, o segurado pode ter que pagar por todos os serviços prestados, como hospital, exames e medicamentos e depois pedir um reembolso. Com a assistência, o cliente conta com uma central de atendimento e uma rede específica de prestadores de serviços hospitalares. Neste caso, em uma situação de emergência, o cliente deverá contatar essa central, que lhe encaminhará ao hospital da rede mais próximo”
A importância de contratar uma assistência ou seguro-médico: Uma pesquisa realizada indica que apenas 30% dos turistas brasileiros contratam um seguro ou assistência-viagem em suas viagens.

É natural achar que esse é apenas um detalhe que encarece o orçamento da viagem, porém, pode ser fundamental para que a viagem não seja arruinada. Problemas de saúde, acidentes e outros inconvenientes podem ocorrer sem qualquer previsão, lembre-se disso.

Para se ter uma ideia, um simples primeiro atendimento médico nos Estados Unidos, por exemplo, pode custar milhares de dólares caso o viajante não tenha um seguro. Já na Europa, os países que integram o Tratado de Schengen EXIGEM que o turista tenha uma cobertura securitária mínima de 30.000 euros para despesas médico-hospitalares.

Seguros e assistências também oferecem cobertura para outros tipos de problemas, como extravio de bagagem e necessidade de assistência jurídica.Conheça os países que exigem a cobertura: No continente europeu, os países que integram o Tratado de Schengen exigem que o turista tenha um seguro com cobertura securitária mínima de 30.000 euros para despesas médico-hospitalares.

Entre eles estão Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, França, Grécia, Holanda, Hungria, Itália, Irlanda, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca e Suécia. O turista pode ser impedido de entrar nessas nações caso não comprove que está assegurado.

Para viajar a Cuba também é necessário ter seguro. O governo da Austrália, por sua vez, exige que estudantes de intercâmbio tenham o seguro-saúde “Overseas Students Health Cover”. Antes de qualquer viagem, informe-se com o serviço consular de seu país de destino se a cobertura é obrigatória.

Problemas com a bagagem: Muitas assistências e seguros-viagem incluem cobertura para extravio de bagagens durante os voos.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>